MPPE investiga mortes de peixes no Capibaribe

A Promotoria de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico e Cultural abriu, na última sexta-feira (6), um procedimento de investigação preliminar para apurar as causas da mortandade de peixes no Rio Capibaribe, verificada na terça-feira passada. O Promotor André Silvani realizou ainda na sexta-feira à tarde uma inspeção no canteiro de obras da empresa Engemaia, que realizava o trabalho de jateamento e pintura da Ponte Velha, no centro da cidade. Segundo um laudo preliminar da Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH), divulgado pela Imprensa, o material utilizado no jateamento (com granalhas de aço) foi encontrado nas brânquias dos peixes coletados para análise, que podem ter morrido sufocados por causa da substância.
A inspeção teve o objetivo de fazer um levantamento fotográfico das obras na ponte. No local, o Promotor verificou indícios de irregularidade no canteiro, de cerca de 300 metros quadrados, construído bem na margem do Capibaribe. Foram fotografados também os equipamentos utilizados no jateamento, as estruturas de madeira instaladas sob a ponte para circulação dos operários e as lonas plásticas instaladas para evitar a passagem das granalhas de aço para o rio.
O próximo passo do Promotor André Silvani será, ainda nesta semana, notificar os órgãos e a empresa envolvidos na questão a apresentar laudos técnicos e documentos para comprovar a regularidade da obra. Além disso, a intenção é agendar uma reunião com os seus representantes. Depois da análise de todo o material, se ficar constatada responsabilidade de algum dos órgãos na contaminação que causou a morte dos peixes, o procedimento poderá ter implicações administrativa, civil ou até criminal, já que poluição é prevista pela Lei de Crimes Ambientais.

 


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /app/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 399

Deixe uma resposta