Sistema Arquimedes chega a mais 25 Promotorias do Estado

10/09/10

Em funcionamento desde 2006 , o sistema de informações do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) agora, a pedido da Secretaria Geral, está sendo implantado em outros municípios do Estado. A prioridade são os municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), mas outros locais que trazem as condições apropriadas também estão sendo contemplados, como é o caso de Brejo da Madre de Deus, no Agreste. Até o final do mês de outubro, segundo o coordenador da Coordenadoria Ministerial de Tecnologia da Informação (CMTI), Eugênio Antunes,  deverá instalar e treinar membros e servidores nos municípios de Cabo, Camaragibe, São Lourenço da Mata, Itamaracá, Itapissuma, Ipojuca, Serinhaém, Igarassu, Goiana, Moreno, Vitória de Santo Antão, Ribeirão, Escada, Paudalho, Tracunhaém, Carpina, Limoeiro, Lagoa de Itaenga, Feira Nova, Pombos, Gravatá, Passira, Cumaru, Nazaré e Vicência.

O programa que chega as Promotorias é a nova versão do sistema de gerenciamento de dados do MPPE, mais ágil e fácil de usar, com a interface completamente reformulada, a pedido da Secretaria Geral do MPPE, para transformar a ferramenta mas leve e agradável. O sistema Arquimedes pode ser considerado uma revolução no método de arquivar dados das Promotorias e departamentos da área meio. Todos os documentos e a tramitação deles no judiciário ficam disponíveis no sistema, que permite a importação total de dados do Judwin (sistema operacional do Judiciário), ou seja, os dois operam em conjunto, possibilitando o intercâmbio das informações. O software possibilita o arquivamento eletrônico da atuação ministerial junto com a informação de qual processo ela faz parte, importa todos os dados do Judwin relativos a este trâmite, veicula os documentos, indexa o texto para que possa ser encontrado na busca e ainda emite a guia de tramitação para o judiciário.

Além de tornar mais fácil a gestão digital de todas as informações relacionadas aos procedimentos ministeriais, o Arquimedes ajuda e dinamiza, pois através dele, é possível arquivar e acessar processos, sem precisar, necessariamente de papel, ficando tudo guardado virtualmente. O armazenamento eletrônico garante maior organização, segurança e possibilita a criação de uma base de dados Institucional, sem falar nas facilidades disponíveis, como por exemplo, a busca no texto e nos anexos das peças dispostas no programa.  “Num futuro próximo, será possível o preenchimento automático do Relatório de Atividades Funcionais (RAF’s) diretamente do Arquimedes. Ou seja, o Arquimedes vai produzir o documento de acordo com as informações disponíveis nele, facilitando ainda mais as atividades dos promotores de Justiça”, explicou o analista ministerial Maurício Leão.

Além de todas as facilidades tecnológicas oferecidas com a adoção e implantação do Arquimedes, o sistema operacional ainda irá permitir uma economia de 30 a 40% em papel e tinta de impressora. O Arquimedes surgiu também para eliminar a via impressa que ficaria disponível na Promotoria. Com ele é possível imprimir apenas a guia que fará parte do processo, a outra, que seria arquivada na sede do MPPE de cada município, agora é digital, o que além de permitir a economia de papel e tinta, também permite a melhor utilização do espaço físico e evita que os documentos se percam caso aconteça alguma tragédia, a exemplo das chuvas de julho, que inutilizaram os documentos dispostos nas promotorias da Mata Sul.

O Arquimedes está hospedado na Web, portanto, não precisa ser instalado nos computadores – basta apenas que a máquina esteja conectada à internet. Atualmente, praticamente todas as Promotorias do Estado têm conexão banda larga, à exceção de algumas mais recentes, cuja inclusão na rede PE Multidigital está prevista. Para operar o sistema, uma equipe da CMTI segue para os municípios a fim de ministrar palestra de como utilizar corretamente a ferramenta. “Vamos a duas cidades por vez, um analista segue para um município e eu vou a outro. Quatro horas é o suficiente para treinar membros e servidores. O sistema é fácil e prático, acredito que ninguém terá problema”, disse Leão.

A ideia da Secretaria Geral do MPPE é levar o sistema a todas as Promotorias do Estado o mais rápido possível. “Estamos trabalhando num calendário de implantação, o mês de outubro está todo preenchido com os municípios mais perto da Capital, iremos pensar agora nos que ficam mais distantes e a estratégia para treinar o pessoal, ainda não está certo, mas é possível que o curso seja dado nas sedes de cada Circunscrição”, finalizou.


Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /app/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 399

Deixe uma resposta